Publicado por: tevejolah | agosto 17, 2008

“keep writing, então!”…

Jacy Carvalho

…Foi o q me disse a carol. não falávamos sobre esse blog, embora. como eu disse, a disciplina acabou… E acabou mesmo. sem disciplina! Viva! apenas um auto-controle, senão vira bagunça.

Pois eh, estava eu num momento férias – que pra mim já estão parecendo eternas. Via Gilmore Girls – eh bobinho, de menininha… mas o q seria eu se não isso?!, mas eh inteligente. ou engraçado. ou eu gosto e pra mim eh engraçado e inteligente, mesmo que não seja. Enfim, elas falavam sobre os planos para quando a rory fizesse 21 anos: ir a atlantic city, sentar na mesa de 21 e começar a jogar quando desse meia noite. depois comprar 21 coisas e ficar com 21 homens. Eu achei sensacional! td! ateh pq vou fazer 21 anos. ateh pq eu conheci atlantic city. ateh pq… criativo, n?! =)

A "avenida"

A

Vamos falar sobre atlantic city, estado de nova jérsei, espero convencer alguém a ir realizar o plano gilmore. Atlantic city eh uma cidade e uma praia da costa oeste dos eua. nem se compara a vegas, não seja tolo. mas as comparações são tão banais. lugares diferentes, pessoas diferentes, viva a diferença. “tudo” (exagero e mentira minha) em AC se resume a uma avenida. de um lado a praia, dos outro, os cassinos enfileirados. se for p sentar em um p jogar 21, vai pro do velho oeste… eh o mais bem decorado, um show! os banheiros desse cassino são imperdíveis, entre! ahhh… saindo de lah, o parque de diversões numa espécie de píer, eh bem bonitinho… p ver neh, tirar foto, tem roda gigante! tbm existe um shopping q tem águas dançantes, mas eh caro… pra parte de comprar 21 coisas, ahhh… eua, neh, vc tanto pode comprar nas lojinhas de souvenier q existem aos montes vendendo chaveiro e camiseta, como as casas de 1,99 aqui do brasil, ou pode ir nas outlets (lojas caras vendendo a preço de custo) e sair de lá c/ algumas coisinhas básicas que irão repaginar a idade nova. tem gap, calvin klein, fossil etc etc etc. n se gasta mt em atlantic city, na verdade, a menos q se queira, ou q se possa. eh, ateh, uma cidade barata. uma curiosidade: da philadelphia pra lá, saem onibus que chegam aos cassinos e devolvem o preço da passagem p/ pessoa gastar dentro dele! acreditam? na verdade n eh o valor total. ida e volta da philadelphia para atlantic city me saíram a 18 doláres, qd cheguei no cassino destino, me devolveram 17! =P mt interessante isso. ah, precisaria ter mais de 21 p/ poder entrar no cassino, viajar e ter meu dinheiro d volta, mas… entende-se! vale a pena perguntar se existe esse esquema, se a philadelphia n for a primeira parada da jornada. diiiizem, que mts brasileiros trabalham lah durante as férias, fazendo work. eu n conheci nenhum. brasileiros tem, c certeza. ah, e por fim, td lah em meio trump, do donald, q eh uma espécie de big owner (grande dono – por ter vários hotéis-cassino).

A praia

A praia

acho q eh isso, um destino, uma idéia, mas hj eu sugiro msm q as pessoas façam planos, que criem e imaginem, pq mesmo se não colocarem na prática, quem sabe não inspiram alguém! =) planos pros 21, pros 37, n importa… curtir, comemorar e viajar. Pra qualquer um desses, pode chamar. Te vejo lah!

Anúncios
Publicado por: tevejolah | março 5, 2008

Depois de muuuito tempo…

Jacyara Carvalho

Oi!!!

Depois de muito tempo, por causa de uma vontade súbita de quem jah não tem mais que lidar com a obrigação de postar, veio a tal vontade de escrever aqui… viagem pela philadelphia acabando… mas não o assunto.

Hoje eu recomendaria aos viajantes de plantão por ai verificarem sempre a a agenda cultural do lugar onde estão. Pode ser que esteja acontecendo um evento ou ateh mesmo que jah exista alguma coisa cultural intrínseca ali. Aqui na philadelphia parece haver um mundo de cultura ao nosso alcance. Tah passando por aqui, em temporada, uma exposição da frida kahlo, logo depois de ter acabado a temporada de renoir. Coisa assim, imperdível. Afinal, esse também eh o espirito desbravador de quem gosta de viajar.

alem das exposições, a quinta cidade dos eua tem um museu do rodin muito legal, um museu de antropologia, que eu ainda tenho que conhecer… e mais uma par de museus e institutos de ciencias e artes.

 mas não soh aqui se pode contar com esse tipo de lazer e turismo. em ny, q tal conhecer o moma (museu de artes modernas)? a estatua da liberdade, o central park e a times squere estao lah pra ser visitados mesmo… mas uma ida ao museu pode ser tão inesquecivel quanto!

 wm vitoria, o centro tah cheio de lugares legais… o negocio eh `figure out`.!

desculpa a falta de links dos blogueiros e descontinuidade, mas nao queria deixar isso morrer!

beijos e saudades =)

Publicado por: tevejolah | novembro 23, 2007

Destino final: Philadelphia

Olá pessoas! Este é um olá diferente! Pra um post diferente!! Eu e a Jacy estamos partindo pra fazer um intercâmbio de trabalho nas férias, mais conhecido como Work Experience. Nós iremos trabalhar na terra do Tio Sam, mais especificamente na Philadelphia (originalmente, com PH mesmo)!!
Nada melhor então do que apresentar minha futura casa a vocês, amigos!!

A Philadelphia pertence ao estado da Pennsylvania e é a segunda maior cidade da costa-oeste.
A cidade tem uma gigantesca importância histórico-cultural para os americanos, pois foi lá que foi fundado o país, de fato. Também é lah que está o Liberty Bell e o Independence Hall, monumentos históricos importantíssimos para a cultura norte-americana.
O Independence Hall (Salão da Independência, pra quem não fala inglês) não é nada mais nada menos que a sala onde foram assinadas a declaração de independência e a constituição do país. Por isso mesmo, é um dos pontos turísticos mais importantes da cidade. E, como não é difícil de imaginar, é muito visitado por turistas, principalmente de outros estados norte-americanos.
O Liberty Bell (Sino da Liberdade) é o sino que chamou todo o povo pra ler a declaração e a constituição! É o verdadeiro símbolo da liberdade do país E foi citado até naquele famoso discurso de Martin Luther King :

“Assim deixe tocar o sino da liberdade!
Quando nos deixarmos o sino da liberdade tocar, quando o deixarmos tocar em qualquer vilarejo ou aldeola, de qualquer estado, de qualquer cidade, nós estaremos prontos para nos erguer neste dia(…) e cantar as palavras de um velho spiritual negro:
Por fim livres! Por fim livres! Graças senhor Todo-Poderoso, estamos livres enfim.”

A Philadelphia também já foi tema de filme! Dirigido por Jonathan Demme e estrelado por Tom Hanks, o filme de mesmo nome é uma história triste sobre homofobia. Não vou fazer um resuminho, porque esse não é o Sussurro! Mas o filme, além de ser muito bom, tem umas tomadas muito boas do visual da cidade! Uma metrópole bonitinha!!

Philadelphia

Há muito mais a se descobrir sobre a Philadelphia, eu sei, mas por enquanto é mais ou menos isso!! Quando chegar lah, vou poder conhecer muito mais coisas!! Experimentar novos lugares é sempre emocionante!

E faço minhas as palavras de Luther King!!
Deixe vir a mim e a todos a liberdade! Principalmente a liberdade de ser!
Bom, a disciplina de Jornalismo Digital chega ao fim, e teoricamente , o blog deveria acabar aqui! Ainda não sei o que vai acontecer. Continuar com o blog seria um prazer e uma necessidade psicológica. Talvez mude um pouco o teor do blog…talvez acrescentemos coisas e tiremos outras.
Anyway… não gosto de especular! E não to pronta pra responder se vai dar certo! Vou deixar meu espírito decidir por si! Agradeço a todos que acompanharam e acompanham o blog. De uma forma ou de outra eu e Jacy tentamos expor a nossa paixão por viagens, falando sobre a nossa maneira de ver o mundo, a partir das nossas impressões pessoais!

No mais, até mais, foi um prazer, e no futuro a gente se encontra!
Te vejo lah! ;D

Publicado por: tevejolah | novembro 23, 2007

O guardião da causa

Jacyara Carvalho

Anjo protetor do Brasil, protetor dos doentes, das mentes criativas e dos viajantes! Sim, os viajantes também têm a quem se apegar. Trata-se de São Rafael Arcanjo!

arcanjo_rafael.jpg

Na Bíblia ele eh citado no livro de Tobias para o curar da cegueira e o ajudar na viagem ateh encontrar uma esposa. Por isso… tentativa de explicação dos protegidos desse anjo!

Cabe à fé de cada um se apoiar no que acredita, mas para os viajantes aflitos, com medo de avião, navio, frio, gente, enfim… pra quem tem medo do desconhecido, converse com São Rafael! =] E, boa viagem!!!

 

 

Publicado por: tevejolah | novembro 15, 2007

Passeando pelo Rio…

 Depois de ver o municipal, andei por aí pra descobrir os mistérios e os encantos do centro do Rio de Janeiro. E descobri muita coisa…É um lugar interessantíssimo para se visitar.  No centro, ficam inúmeros prédios de consulados, como o dos EUA, de Angola, do México, etc.

Como todo centro existem uma multiplicidade de coisas: restaurantes, boates, igrejas, museus, prédios oficiais, e muita gente andando com pressa pela rua. A diferença do centro do Rio para os outros é a importância histórica: pano de fundo dos romances de folhetim, ex-capital do país e principal cidade na época do Brasil-colônia, onde grande parte da história do nosso país está gravada.

 http://www.imagensviagens.com/rio02b.jpg

Em contraste com os prédios históricos, de arquitetura neoclássica, existem também os prédios modernos, super práticos, e aqueles mais exóticos. No meio da mistura de tendências, acaba-se deparando com um Niemeyer, por exemplo.

Aí vai mais um vídeo de campo, explorando a cidade maravilhosa!  

Link muito interessante! Um site sobre o centro do Rio de Janeiro, uma espécie de jornalzinho!!

Publicado por: tevejolah | novembro 12, 2007

Um pouco de cultura…

Carolina Ruas  

O Brasil é um país onde várias culturas se tocam, várias tradições, várias expressões artísticas, várias linguagens.
Eu, como uma nacionalista convicta, acho que o Brasil inteiro é maravilhoso, só pela diversidade que ele abriga. Se há um lugar que eu nunca vou parar de recomendar para se visitar, é o seu próprio país.  Afinal, de contas, amigos, se a gente não prestigiar, quem irá?
Mas isso tudo é só porque nos últimos dias eu e Jacy, em trabalho de campo, fomos ao Rio de Janeiro. Sim, ela mesma, a cidade maravilhosa! Eu sei, que o Rio é um roteiro de turismo batidíssimo, e como vocês já devem ter percebido, lugares-comum não são o nosso objetivo.
Porém…tive que  abrir uma exceção pra falar, não do Rio de Janeiro que é fácil encontrar quem fale, mas do Theatro Municipal, reduto da cultura carioca e brasileira.
É definitivamente fascinante! Fiquei deslumbrada com a magnificância do lugar. Uma construção antiga e imponente bem no centro da cidade, na Praça Floriano, ou se quiser, Cinelândia. É de emocionar, se você pensar que aquela calçada já foi pisada pelos maiores artistas nacionais e internacionais que visitaram o Brasil.
A entrada principal tem um ar de nobreza que se ergue das escadarias largas e, quando você olha pra cima e vê o resto do prédio te olhando, dá uma sensação de insignificância. Você se sente tão pequena diante daquele monstro que te olha de cima com todo o respaldo da música, do ballet, do teatro que ele abriga e que está colado em suas paredes. Acho que foi num momento desses que Sócrates desabafou: “Só sei que nada sei”.
O teatro é um dos maiores cartões postais do Rio. Taí o nosso vídeo pra mostrar um pouco da fachada em estilo renascentista, por onde passaram e aindapassam a nata da arte e cultura que chegam ao Brasil. Só pra deixar vocês com vontade! 

O Theatro Municipal se ergue na esquina da Rua 13 de maio com a Avenida Rio Branco. Foi inaugurado em 1909 e desde então recebe os maiores espetáculos de todo o país e também do mundo. É hoje, a única instituição brasileira que matém um coro, uma companhia de ballet e uma orquestra em funcionnamento desde a década de 1930.

Depois deêm uma olhada no site da fundação Theatro Municipal (ligada à secretaria da cultura do Rio). Tem uma seção muito interessante que permite visitas virtuais com fotos de varios ângulos.
O Theatro Municipal do Rio de Janeiro é Patrimônio Histórico e Artístico e está aberto a visitações, na parte da tarde, de segunda a sexta por R$4,00.

Te vejo lah recomenda! 

Publicado por: tevejolah | novembro 8, 2007

Nepal – em busca da paz interior

Conversa por msn com minha prima, Gabi, (00:56hs-quarta-feira):

(…) 

carol diz: …é um blog que a gente faz pra matéria de jornalismo online…entra la pra vc ver!
Gabiruxa diz:   blog? legal…perae

carol diz: comenta tbm!! hehe

carol diz: a gente escreve juntas, eu e minha amiga…cada dia uma escreve…

Gabiruxa diz: po, legal prima!! vc que escreveu a ultima neh??

carol diz: foi sim…

Gabiruxa diz: lembra do tio Decinho quando foi fazer curso la no nepal??

carol diz: ha? foi? num lembro nao…

Gabiruxa diz: axo que vc era muito bebe na epoca!! haaha

carol diz: deve ser!

carol diz: manero!! ele foi pro nepal?? faze o que?

Gabiruxa diz: sei la, ele era de um grupo acho que budista e ai ele foi conhecer o lugar que o buda nasceu…

carol diz: irado!! e ninguem me conta essa historia??

Gabiruxa diz: hauhauhauahuhauh

Gabiruxa diz: pensei que vc soubesse!!

(…)

Entao. Como vocês podem notar, minha familia não é muito boa com diálogo. Eu tenho um tio que foi pro Nepal e não sabia!!
Anedotas familiares à parte, essa conversa me inspirou a fazer um post sobre Nepal, berço do Buda!

O Nepal, é um país muito diferente. Ele fica mais ou menos entre a China e a Índia, na região do Himalaia. É conhecido como o “teto do mundo”, por causa da localizaçao na cordilheira e por abrigar o pico mais alto do mundo: O Everest!!
Monte Everest 
Não é um país rico, portanto não impressiona pelo luxo e grandes monumentos. O mais cativante no Nepal é a paisagem fascinante da cordilheira, assim como a cultura do povo e a relação com as variadas crenças que surgiram ao redor daquela região.
A  região central, o vale Kathmandu, considerado patrimônio da humanidade e que também abriga a capital, de mesmo nome, é recheada de templos antigos das religiões hindu e budistas. Entre os mais conhecidos está o Templo budista de Swayambhunath, também conhecido como o “templo dos macacos”, por causa da quantidade de macacos que o rodeiam fazendo graça para os visitantes.

templo-de-swayambhunath-shutterstock.jpg 

Outras lugares importantes para se visitar são Lumbini, a cidade onde teria nascido Siddhartha Gautama (o Buda), no chamado Jardim Sagrado. E a cidade-lago Pokhara, situada na margem de um lago, rica de belezas naturais, como as montanhas Annapurna que a rodeia. 
Fora esses pontos turísticos básicos, é possivel visitar os inúmeros museus de arte e cultura nepalesa, e assistir a apresentações folclóricas que ocorrem em festivais frequentes. É imperdoável, porém, ir ao Nepal sem passar por um templo budista, e sentir o espírito do lugar.

O budismo diz que o ser humano deve buscar encontrar a si mesmo para depois poder dialogar com o mundo, por isso a meditação é praticada com muita disciplina, e para os visitantes existem cursos de meditação que são oferecidos nas principais cidades, assim como aulas de ioga também. Por isso mesmo, o país atrai um grande número de grupos budistas de todo o mundo, que buscam encontrar a iluminação que Buda deixou.

Bhuda no templo de Swayambhunath

No mais, acho que dá pra visitar o Nepal só pelo choque cultural que nos causaria. A religião, a cultura, o clima e até uma curiosidade: o Nepal, é um dos poucos lugares do mundo onde existe a poliandria, sistema o qual permite que uma mulher tenha vários maridos, na maioria dos casos irmãos ou parentes. Quer choque cultural maior??

Muitas vezes ficamos muito fechados no nosso mundo nos julgando muito superiores, e enquanto isso há centenas de mundos diferentes e maravilhosos lá fora! O Nepal é um deles! 

O jornalista, fotógrafo, escritor e blogueiro, José Antonio Ramalho, fez uma travessia da cordilheira de bike!!! Ta lah no blog dele, o video contando as aventuras que ele passou (e não foram poucas!)

Publicado por: tevejolah | novembro 5, 2007

E por falar em Itália…

Carolina Ruas

Aproveitando a onda européia que o blog passou, acho que é uma boa hora para aproveitar e falar que, aqui, no Espírito Santo se concentram a o maior número de descendentes italianos do Brasil!! Cerca de 1,9 milhão de descendentes, ou seja, 67% da população… Vamos deixar a Itália um pouquinho e despencar aqui pra um lugar onde os italianos chegaram e não quiseram mais sair! O município de Ibiraçu!!Localizado a pouco mais de uma hora da capital à margem  da BR 101, foi fundada por famílias italianas da cidade de Gênova e, segundo o wikipedia:

“Ibiraçu é vocábulo indígena que significa “árvore grande”. Do tupi ybirá: árvore; e assu: grande”

De fato a cidade chegou a se chamar “Pau Gigante”, mas, depois de brotar um cisco de bom senso, seu nome foi mudado para a versão indígena em 1942.

Ibiraçu é pacato. Traqüilo e interiorano. É um lugar cheio de paisagens naturais maravilhosas que você pode conhecer em um passeio de trem!! A cidade é atravessada pela estrada de ferro que liga Minas Gerais ao Espírito Santo.  Além de ter uma cultura fortemente marcada pela imigração italiana, existem duas coisas definitivamente marcantes em Ibiraçu.:

1º –  Rodeio Beneficente de Ibiraçu:  O rodeio beneficente que acontece todos os anos na cidade atrai turistas de todo o estado e também de estados vizinhos. O evento esta indo pra sua 10º edição e se encontra entre os 5 mais importantes rodeios do Brasil, no ranking da Confederação Nacional de Rodeios;
Além de reunir a galera que se amarra em country, o rodeio é beneficente neh!!  Quem organiza é a SACRI – Sociedade de Assistência Social, Cultural e Recreativa de Ibiraçu. A renda do evento é revertida para a criação de um Centro para Referência Regional do Câncer.

 Rodeio de Ibiraçu

2º – Mosteiro Zen Morro da vargem: O mosteiro é o primeiro da América Latina!! Você chega e parece que está num lugar completamente longe de tudo e de todos!! Espírito Santo?? Brasil?? Nada! Só existe aquela paz…aquele silêncio, a disciplina e concentração típicos do budismo. O mosteiro fica aberto para visitantes que vêm de todo o país para participar dos seshins, (retiros espirituais). Além das práticas zen propriamente ditas, há também no mosteiro projetos de educação ambiental, arte e cultura com crianças, idosos, agricultores, e com a comunidade ao redor. Vale muito a pena visitar!!

Mosteiro Zen- budista

Agora, um pouco da filosofia Zen, pra finalizar:

“Quando alguém pergunta ‘Qual o caminho?’, o Zen simplesmente responde ‘Caminhe!’”

 

Publicado por: tevejolah | novembro 4, 2007

Off post: Narciso, ísico, ismo…

Jacyara Carvalho

 Para fechar a minha atual saga, queria aproveitar a Europa, mas sair do tema de viagens, para falar de mitologia grega. A lenda de narciso, segundo a Wikipédia, tem mais de uma versão, e, quem quiser saber mais, visite-a. Ou Narciso era gay ou homofóbico, ou ele era insensível ou míope… enfim, há várias versões de paradoxos para o personagem.

Mas… qual seria a questão que caberia a um blogueiro? Serah que ele ser narcisista reflete a vaidade ou a tendência? E, serah, ainda, que a vaidade não eh uma tendência?

Não sei! Realmente… Mas, não gostaria de morrer como Narciso. Apesar de que um pouco de auto-estima não faz mal pra ninguém! Então, para que eu não me congratule demais, estou a disposição de quem faça isso por mim!

Publicado por: tevejolah | novembro 1, 2007

Conhecendo, agora, a Europa (com Cibele)!

 Jacyara Carvalho

As dicas que demos não se aprofundaram no tema Europa, mas a intenção era nos voltar pra quem gostaria de pensar uma viagem, de forma geral. Quem quiser roteiros prontos, sugiro que converse com o Raphael, que não eh expert, mas eh, brasileiramente, esperto para essas coisas. Agora, quem quiser mergulhar em uma bela experiência e aprender um pouquinho mais de alguns lugares do velho continente, leia a entrevista. Com vocês, Cibele Lana, futura jornalista viajada!

 

 

Te vejo lah – Quais lugares você visitou?

Cibele – Então, estive na Itália, nas cidades: Roma, Milão, Trento e Florença. Depois fiz um mochilão com mais seis amigas. Fomos pra Londres, Barcelona e Paris.


Te vejo lah – O que mais chamou sua atenção neles? O que não se pode deixar de fazer lah (pode ser ver, fazer, comer, visitar, assistir…)?

CibeleRoma chama muito a atenção pelas ruínas espalhadas pela cidade. A começar pelo gigantesco Coliseu e Fórum Romano. Esses não dá pra não visitar! Fiquei impressionada pois, se fosse no Brasil, já teriam destruído todos aqueles restos de monumentos (porque às vezes o que está em pé é só uma coluna, ou uma parede, ou uma inscrição) pra construir prédios novos, avenidas… Mas pra quem gosta de história, é muito emocionante tocar coisas construídas há mais de 2 mil anos. Não temos essa riqueza aqui. Ah, e é claro, não se pode deixar de tomar o sorvete italiano, de preferência da sorveteria que fica em frente à Fontana di Trevi!

Milão respira moda, né?! Fiquei impressionada com as vitrines, com as lojas de marca mais famosas do mundo e como eles conseguem vender coisas tão caras (bolsas que chegam a 2 mil euros – qs 6 mil reais). Aconselho não deixar de conhecer a Galeria e a catedral de Milão que ficam numa mesma praça. Apesar de toda essa sofisticação, a cidade ainda mantém os velhos bondinhos como meio de transporte nas ruas.

Trento é uma cidade bem pequena. Lá, é interessante conhecer a catedral onde foi realizado o Concílio de Trento. O que mais me chamou a atenção foi a paisagem. A cidade é toda rodeada por uma cadeia de montanhas coberta de neve, maravilhosaaa!

Florença é a capital mundial da arte. É bem aquelas cidadezinhas de filme, quando eles contam a história de pintores renascentistas famosos. Ruas estreitinhas, quase becos, prédios antigos coloridinhos, e pintores nas calçadas que fazem pequenas telas com paisagens da cidade. Lá não se pode deixar de visitar a “Ponte Vecchio” e o “Museo Accademia” pra ver a estátua David de Michelangelo. Uma das coisas mais fantásticas que já vi na minha vida.

 

 

Te vejo lah – E quanto ao “mochilão”?

Cibele – O mochilão foi verdadeiramente uma aventura. Éramos sete meninas, com mochilas de 10kg nas costas, dormindo em albergues, comendo sanduíche o dia todo, sempre com um mapa na mão e muitaaaa empolgação.

Em Londres, adorei visitar a Tower Bridge que fica ao lado da Tower of London. Dois lugares essenciais pra se conhecer. Lá, como em toda a Europa, o moderno se mistura com o antigo. De um lado é lindo observar a arquitetura do Parlamento Inglês com o Big Ben, do palácio Real, etc..e do outro os prédios modernos, espelhados…Na capital inglesa, não se pode deixar de ir a um pub londrino á noite, tomar uma jarra de 2L de cerveja e conversar com os gringos do mundo todo. Prepare-se e cuidado, você sempre encontra um brasileiro!

Barcelona é diferente de tudo na Europa, por causa do povo. Eles têm o “calor” do povo latino e as feições também. Acredito que seja por conta do clima que é mais ameno. Em frente à Prefeitura tem sempre apresentações culturais, festas, danças. Impossível não ir à Igreja da Sagrada Família pra entrar em contato com o trabalho do famoso arquiteto espanhol Gaudí…Aliás, tudo na cidade tem um toque de Gaudí. Á noite, adorei passear pela famosa La Rambla, uma rua 24h que tem vários barzinhos, lojinhas, etc…é muito agraável.

Paris é fantástica! Lá, não dá pra deixar de conhecer o Louvre e a Torre Eifel, é claro! O que mais me impressionou mesmo foi o Louvre. É possível conhecer todas as culturas do mundo ali dentro. É uma riqueza cultural sem dimensões. Vale muito a pena. Mas requer bastante tempo…o lugar não é pequeno não! Recomendo também o passeio de barco pelo Rio Siena, que te leva a conhecer toda a cidade. E os sanduíches de rua são muitoooo bons!

 

Te vejo lah – Que meio de transporte você recomenda para cada um?

Cibele – Os pés! Hauhauha…de verdade, recomendo pegar um metrô ou ônibus (que geralmente custam a mesma coisa) pra se chegar até o centro ou até as regiões onde se concentram alguns pontos turísticos mais famosos. E a partir daí, andar, andar, andar…é a melhor forma de conhecer os lugares. Basta ter um mapa confiável.

Te vejo lah – Quanto tempo você recomenda pra se passar, no mínimo, neles?

Cibele – No mínimo dois ou três dias. Dá pra conhecer muita coisa, mas o básico.


 

Te vejo lah – Qual a impressão da Europa que ficou na sua cabeça?

Cibele – A impressão que ficou pra mim, foi um pouco a que comentava antes, da convivência entre moderno e antigo.  Todas as cidades têm um pouco disso. Nosso país é muito novinho. Lá as coisas são muito antigas, mas com a modernização, as cidades vêm ganhando um “ar de novas” sem deixar de conviver com o velho.

E uma coisa é verdade: é um continente muito civilizado, no sentido de que as pessoas têm muita educação, apesar de serem “frias”. Tudo é muito lindo, mas muito formal. Nós, brasileiros, estranhamos um pouco, porque as culturas são muito diferentes. Mas vale muito a pena conhecer. A riqueza cultural é enorme!

Older Posts »

Categorias